Um obrigado especial ao PIVIan turtleflax por preparar a resposta oficial.

No dia 1 de Junho de 2018, o Joël Valenzuela publicou este artigo para DashForceNews acerca do aprovisionamento da moeda, a sua distribuição, e a sua implicação. Procurando promover o Dash e desenhar contraste com os concorrentes. Uma dessas moedas é o PIVX, um fork de 2016 do Dash que desde aí realizou melhorias significativas tal como converter para o Proof of Stake, criar a única implementação PoS do protocolo de privacidade Zerocoin, implementar a mais avançada implementação Zerocoin no mercado, e criar o único sistema de staking privado na cripto.

Este artigo inclui o seguinte texto e imagem:

“Um grau de centralização de distribuição é de ser esperado em novas moedas, tal como é o caso com o PIVX. No entanto, neste caso particular o aprovisionamento é extremamente concentrado, com os top 10 endereços a terem quase dois terços do aprovisionamento total, metade disso está remanescente num único endereço.”

Devia ser imediatamente aparente para qualquer leitor que a informação sugere eroneamente que os Top 1000 endereços guardam 144% do aprovisionamento da moeda. Uma olhadela à página da lista das pessoas ricas no explorador de blocos onde essa informação provém mostra de forma muito rápida que o top “endereço” são os Acumuladores anónimos que representam os tokens privados na rede. Obviamente todos os tokens privados não pertencem a uma única pessoa ou endereço, que dado o tamanho do nosso aprovisionamento privado, distorce significativamente essa informação.

Pode ser que o Dash não seja familiar com os mecanismos de privacidade da criptomoeda, mas a maioria dos exploradores de bloco são baseados no bitcoin e não interpretem o Zerocoin, Zerocash, ou também as transações privadas de Criptonote. Quando tem em conta os “endereços” anónimos a distribuição do Top 10 e Top 100 é de 11.9% e 25.3% respectivamente, não 64% e 99%. Convido-o a verificar essa informação directamente desde o nosso explorador de blocos oficial aqui ou informação de node aqui. Essas mostra a quantidade correcta do aprovisionamento zPIV como uma quantia de percentagem do total do aprovisionamento de moedas.

O artigo continua dizendo:

“Isso é especialmente problemático porque o PIVX é uma moeda proof-of-stake, o que significa que novas moedas apenas podem ser criadas por aqueles que já possuem algumas para começar. Adicionalmente, o PIVX utiliza uma governança e modelo de tesouraria, com os stakeholders a votar nas decisões de desenvolvimento e distribuição dos fundos para projectos, tornando as ramificações de distribuição centralizada extremamente além para simples posse de fundos.”

Isso é enganador de algumas formas. Combinado com a informação errada antecedente, está a implicar que o PIVX opera utilizando um “os ricos ficam mais ricos” sistema de recompensa e uma governança plutocrática. A realidade é que o sistema de recompensa de staking PIVX provide recompensas proporcionais a todos os takes e tem um colateral mínimo de apenas 1 moeda. Reciprocamente, ganhar um ROI passivo no Dash está limitado aos mais ricos, requerendo 1,000 moedas para uma Masternode ou $305,000 quando isto foi escrito. Por favor veja este artigo para mais informação acerca da emissão de moedas PIVX, recompensas, e ratio de inflação.

Para mais precisão, este artigo deveria mencionar que em quase todas as moedas, muitos dos endereços dos mais ricos pertencem a plataformas de troca. Adicionalmente, o DASH também deveria mencionar que as moedas de masternode providenciam um incentivo para os holders mais largos dividirem os seus fundos através de vários endereços que faz com que o aprovisionamento de moedas seja mais favorável. O artigo também menciona o endereço de reserva da comunidade Smartcash como se representasse um único dono de metade do aprovisionamento, no entanto esses são fundos controlados pela governança.